De que lado o STF está e por que interfere no Executivo? Como confiar em uma instituição que na sua maioria foi indicado pelo PT

Segundo Gilmar Mendes, chegou a hora dos líderes conversarem e aprovarem leis que enquadrem quem ofender o STF

Atualizar


Gilmar Mendes confessa que quer leis mais rígidas para quem ofender o STF

O Ministro Gilmar Mendes confessou em uma entrevista que tem conversado com os líderes do congresso, (entende-se que são Maia e Alcolumbre e fica claro uma interferência do STF no Legislativo). Segundo Gilmar, chegou a hora de conversarem e aprovarem leis que punam quem maldisser o Supremo ou algum ministro, inclusive enquadrar políticos que manifestam seu descontentamento com o STF e ficam a favor do povo.

Seria a Ditadura do judiciário?

O STF mostrou nesses últimos dias sua verdadeira identidade e já não esconde dos brasileiros de que lado está, veja abaixo algumas atitudes desastrosas na opinião popular do STF:

  • STF pediu o vídeo de uma reunião secreta, procurando alguma coisa que possa prejudicar o Bolsonaro;
  • STF divulga o vídeo para toda a mídia mesmo sobre sigilo;
  • STF, na pessoa do Celso de Mello, fez um pedido de investigação contra o deputado federal Eduardo Bolsonaro, à Procuradoria Geral da República, por crime de incitação à subversão da ordem política ou social, essa prática viola a Lei de Segurança Nacional.
  • STF, na pessoa do Celso de Melo ordena que Generais ministros fossem obrigados a prestar depoimento por condução coerciva ou debaixo de vara;
  • STF pede o celular do Presidente da república, más, o do Adélio Bispo está protegido a sete chaves;
  • STF iniciam uma investigação, que não é sua função e proibido no Brasil passando por cima da constituição federal;
  • STF autoriza PF de entrarem nas casas de jornalistas e apoiadores do Presidente e levando pertences eletrônicos com a desculpa de fake news.
  • É difícil governar sem o apoio do congresso, porém, é impossível liderar e erguer um país devastado, com um Supremo(STF), na sua maioria indicado pelo (PT) e interferindo nas ações do Executivo e trabalhando contra.